No governo do comunista Flavio Dino, Maranhão vive crise grave de desemprego

O Estado do Maranhão, governado pelo comunista Flávio Dino, vem enfrentando uma enorme crise de desemprego.

A falta de emprego no estado já atinge 17% da população com idade para trabalhar, no primeiro trimestre de 2021.

Segundo os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio Contínua (Pnad), do IBGE, no Brasil a taxa de desemprego é de 14,7%.

Em comparação com o mesmo período do ano passado, o crescimento é de 2,6%.

É o triste retrato do que o comunismo é capaz. Quem sofre é o povo maranhense!

Fonte: G1

 

Acidente com ferry boat não foi por falta de aviso. Felizmente não houve vítimas fatais

Por inúmeras vezes já denunciamos casos sérios sobre os riscos de vidas das pessoas que viajam nos ferrys boats entre a Ponta da Espera, em São Luís e o Cujupe, na região da Baixada Maranhense. Cada viagem em qualquer uma das embarcações sucateadas é marcada por muita tensão pelos passageiros e a indiferença do poder público para o sério problema vai se acentuando, acreditando-se que esperam um acidente de grandes proporções para então decidirem por uma licitação, que vem sendo anunciada há mais de 03 anos, mas que de concreto não existe nada.

Dentro de todo o contexto já deveria ter havido um posicionamento da Capitania dos Portos, quanto a permissão das embarcações para fazer um transporte seguro e com qualidade, uma vez que a MOB, como instituição governamental ainda não conseguiu ter competência para fazer a devida e necessária licitação.

Por ocasião do incêndio no ferry boat, na madrugada de domingo, estavam na embarcação sete tripulantes, dos quais 03 sofreram ferimentos leves. Ainda são desconhecidas as causas do acidente, mas o que se informa é que ela estava pronta para entrar em operação.

A repercussão do incêndio foi muito grande principalmente entre passageiros que utilizam o transporte com frequência e empresários que diariamente atravessam os seus veículos. A verdade é que as pessoas que utilizam o meio de transporte com muito receio de acidentes, agora as tensões serão bem maiores.

Diante do fato ocorrido no Terminal da Ponta da Espera, é se esperar que haja uma decisão séria, transparente e efetiva para uma licitação nacional e assim se acabe de uma vez com riscos de vidas das pessoas que utilizam o serviço de transporte marítimo.

Fonte: AFD

Gleisi PT ameaça Amado Batista e diz que vai processá-lo por chamar Lula de “ladrão”

A presidente Nacional do Partido dos Trabalhadores (PT), Gleisi Hoffmann parece que perdeu a memória. Neste sábado (05), Gleisi disse que irá processar o cantor Amado Batista, por chamar o ex-presidente e ex-presidiário Luiz Inácio Lula da Silva de “ladrão”.

“Amado Batista terá de enfrentar a Justiça, assim como outros que mentiram sobre Lula e sua família. Quem faz acusação falsa tem de ser responsabilizado pelo que diz, seja famoso ou não”, escreveu ela.

Gleisi ainda completou:

“A propósito, o STF acaba de divulgar o acórdão da suspeição de Moro. Cuidado com a língua, mentiroso”, acrescentou ela.

A roubalheira da era PT é gigantesca, incalculável.

Há muito a investigar, punir e ressarcir o erário dos bilhões subtraídos do patrimônio público pelos gestores corruptos das gestões Lula e Dilma.

Lula não foi e até poderá ser inocentado por interesses políticos e do poder judiciário, mas jamais conseguirá apagar a verdade para o povo brasileiro. Fica o questionamento: A atitude da presidente do PT é dissimulação, insanidade ou é mera e absurda inversão de valores?

Fonte: Jornal da Cidade Online

 

 

Esclarecimento sobre a “gritaria” da Globo contra a Copa América

Segundo reportagem do portal de notícias esportivas Lance, a Rede Globo teria apresentado uma proposta para comprar os direitos de transmissão desta edição da Copa América de Seleções, mas teria sido barrada em uma cláusula de litígio na justiça com a Conmebol, após o rompimento do contrato de transmissão da Taça Libertadores da América, no final do ano passado.

A questão, aliás, foi o que levou a entidade responsável pelo futebol sul-americano a dar preferência ao SBT, que adquiriu o restante da própria Libertadores e acabou sendo confirmada como a emissora oficial da Copa América em sinal aberto – também haverá transmissão por TV fechada, pelos canais ESPN e Fox Sports, ambos do grupo Disney.

O SBT ainda ficou isento de pagamento de taxa extra, pelo fato da competição ter sido transferida, de última hora, para o Brasil – a regra do contrato prevê um acréscimo quando o campeonato ocorre dentro do país de origem da TV.

Ainda segundo o que foi apurado pela reportagem, esse “desentendimento entre Globo e Conmebol seria o principal motivo dos diversos comentários contra a competição, ditos ou publicados por seus jornalistas, comentaristas e narradores. Em um deles, completamente descontrolado, o narrador Luís Roberto aparece em vídeo, atacando a competição e o presidente da República Jair Bolsonaro.

A polêmica criou um racha interno entre os profissionais do Grupo Globo. O comentarista Carlos Cereto, do Sportv foi cobrado e tem recebido ataques nas redes sociais após dois comentários postados em seu Twitter, criticando a politização e postura adotada por seus colegas:

“Quando foi que o jornalismo esportivo se transformou numa grande lacração política? Saudade de quando a imprensa esportiva achava que só entendia de futebol”, escreveu.

E completou, após ser questionado:

“Quer dizer que democracia só vale para quem pensa igual? Será que alguns são mais iguais que os outros”?

Será que ainda ficou alguma dúvida sobre o motivo dos “porta vozes” da Globo insistirem na gritaria contra a Copa América, a ponto de influenciar mesmo os jogadores da seleção, enquanto continuam transmitindo, alegremente, a Copa do Brasil e os Campeonatos Brasileiros das Séries A e B, masculino e feminino, com mais de 80 clubes viajando o país inteiro diariamente?

Jornal da Cidade Online

 

Papa reúne cardeais após escândalo de restos mortais de 215 crianças em escola indígena da Igreja Católica no Canadá

O papa Francisco se reuniu com os dois cardeais canadenses que moram no Vaticano neste sábado, no momento em que aquele país lida com a descoberta dos restos de 215 crianças de uma antiga escola para estudantes indígenas que era administrada pela Igreja Católica.

O papa se reuniu separadamente com o cardeal Michael Czerny e o cardeal Marc Ouellet, disse o Vaticano, em seu anúncio diário dos compromissos papais.

Ouellet se reúne com o papa todos os sábados, como chefe do departamento do Vaticano que supervisiona bispos.

Czerny, especialista do Vaticano para imigrantes e refugiados, não tem uma reunião semanal com o papa. Ele é nascido na República Tcheca com cidadania canadense e sua família imigrou para Montreal quando ele tinha dois anos.

Embora o Vaticano não tenha dito o que foi discutido nas reuniões privadas, diplomatas afirmam que seria muito incomum que os eventos recentes no Canadá não tenham sido mencionados.

Muitos canadenses cobraram que o papa pedisse desculpas formalmente pelo papel da Igreja Católica nas escolas residenciais, que operaram entre 1831 e 1996 e eram administradas por várias denominações cristãs em nome do Governo.

Francisco, eleito papa em 2013, já pediu desculpas pelo papel da Igreja na colonização das Américas, mas geralmente decide fazer esse tipo de declaração em visitas aos países. Nenhuma visita do papa ao Canadá está programada.

Agência Reuters

 

De escorpiões e hienas

                                                                                                                                                            Carlos Nina*

Se um novelista dos mais talentosos – ainda que inspirado pelas visões estéticas de Salvador Dali e estimulado pelos alucinógenos mais eficientes – quisesse descrever o presente, jamais imaginaria uma obra em que corruptos contumazes fossem investigadores oficiais para apurar fatos de interesse da sociedade.

Se tivesse tal capacidade, não chegaria ao desplante de retirar do foco da investigação desvios de recursos públicos, para atacar opiniões divergentes. Quem, porém, conhecesse a história e assistisse a tal enredo, não diria que isso seria coisa de novela; nem se surpreenderia, diante do tamanho da desfaçatez daqueles que se valem de brechas do ordenamento jurídico que eles mesmos constroem e de relações promíscuas com que se mantêm no Poder, protegendo-se uns aos outros.

Nenhum escritor criaria uma história de corrupção como essa porque teria de referir-se a incontáveis tipos penais, pois os personagens trafegam com desenvoltura no vasto leque da previsão legal, com predileção para aqueles que conceituam desvios de verbas públicas. Como se não bastasse apenas corromper e corromper-se, têm necessidade de ir além. Trocar de posição. De bandido, virar mocinho. Tentar transformar pessoas decentes em réus. Seria inacreditável se não fosse onde é e se fossem outras as pessoas.

Aristóteles não fez do homem um animal (ser) social. Apenas constatou isso. A evolução dessa necessidade e realidade gregárias culminou na idealização do estado, tratado por Maquiavel, Bodin, Hobbes, Rousseau, Locke, Kant, Kelsen, dentre outros, com a finalidade de que as pessoas pudessem se organizar e administrar-se. Para tanto, Montesquieu contribuiu com sua proposta de tripartição dos poderes: Legislativo, pelo qual o “povo”, por seus “representantes”, elaborariam as leis da própria convivência; o Executivo, para gerenciar o Estado; o Judiciário, para dirimir os conflitos entre as pessoas.

A presunção era de que aqueles que viessem a exercer as funções de tais poderes se pautassem pelas normas vigentes. Se as violassem, deveriam ser punidos, obviamente, pois a lei deve ser para todos, assim diziam os doutrinadores. Se, porém, os criminosos tomam conta dos poderes, os inimigos passam a ser os cidadãos de bem, aqueles que não se deixam cooptar ou seduzir pelos esquemas de corrupção dominantes.

Por coerência, portanto, o Estado não pode, para punir, violar ele próprio as normas do ordenamento jurídico nas quais está supostamente enquadrando alguém. Ou seja, delegado de polícia, promotor de justiça, juiz de direito, advogado, parlamentar, no exercício do direito de interrogar alguém, não deveriam, eles próprios, em razão desse direito, violar o direito alheio, quer seja na oitiva de perito, testemunha ou mesmo acusado.

Num Estado, porém, em que o crime organizado é quem elabora as normas e quem as interpreta, não deveriam causar surpresa os delírios da estupidez dos malfeitores. Esperar que agissem de forma diferente é pensar como o sapo, que acreditou no escorpião quando este lhe pediu carona para atravessar o lago e prometeu não o ferroar, pois morreria também. No meio do lago, o escorpião ferroou o sapo e esclareceu, diante da surpresa assustadora de que foi acometido o batráquio – É da minha natureza!

Não se tem notícia de que na fábula o escorpião sorri. No mundo real, o escorpião parece uma hiena, rindo de sua própria maldade, em êxtase desrespeitoso, não só para com aqueles a quem deveria interrogar com respeito, mas para com todas as pessoas decentes, pois presenciam atitudes destituídas do mínimo de educação por parte de quem deveria ter conduta revestida de dignidade e honra.

Isso, porém, é absolutamente impossível, pois não têm nenhum pudor. Sua natureza é avessa a valores morais, éticos e legais. Se alhures ser pego com a mão no cofre público é vergonhoso, na terra das hienas isso é mérito, revigora a audácia e confere até poderes para intimidar e ameaçar pessoas decentes. Tentar humilhá-las. Mas não conseguem. Não têm estatura moral para isso. Sua qualificação é a da sordidez e da canalhice. Tentam desqualificar aqueles aos quais não alcançam, com interrupções indevidas, ofensas e agressões gratuitas, sem se darem conta, no lamaçal da impunidade em que vivem, do papel ridículo que fazem.

Reagem irritados à voz serena do equilíbrio, com os únicos “argumentos” que têm: gritaria e ofensa, mal-educados, desinformados, autoritários e – pior – covardes, excitam-se provocando náuseas e nojo. Só não conseguem é mudar a realidade da qual eles não têm nenhuma dúvida: são corruptos, criminosos. Tentam destruir a boa reputação de quem a tem, por que a única que possuem é a de ladrões. Sabem que não adianta tentar parecer mocinhos. São bandidos. E assim morrerão. É o legado que optaram por deixar para seus filhos.

*Advogado e jornalista

 

Depois do aval com restrições da Anvisa a vacina Sputinik governadores tratarão da importação

Executivos terão encontro com Fundo Soberano russo para acompanhar próximos passos na importação da vacina  

Governadores e secretários de Estados do Norte, Nordeste e Centro-Oeste reuniram-se de forma virtual neste sábado (5) para tratar da vacina Sputnik V, que teve o aval da Anvisa para importação excepcional nesta sexta-feira (4).

O governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), publicou em suas redes sociais que a reunião contou com a presença dos governadores do Consórcio Nordeste, que havia pedido a reavaliação da Anvisa sobre a Sputnik, e do Consórcio da Amazônia Legal. A Sputnik V foi requisitada por seis estados: Bahia, Maranhão, Sergipe, Ceará, Pernambuco e Piauí.

“Tratamos da aprovação pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) da importação e do uso da vacina Sputnik V no Brasil. Estamos analisando todos os aspectos relevantes para que a utilização de mais esse imunizante nos ajude a ampliar a vacinação da nossa população com segurança, eficácia e obedecendo todos os protocolos sanitários. Vacinas salvam vidas. Acelerar o ritmo da imunização é urgente.”

Segundo outra publicação do governador do Ceará, Camilo Santana (PT), o grupo marcará uma agenda com o Fundo Soberano russo para acompanhar os próximos passos. “Somente com a vacinação em massa conseguiremos superar esse momento difícil de pandemia.”

A publicação de Santana acompanha uma foto da reunião online, onde é possível verificar a participação dos governadores do Pará, Helder Barbalho (MDB), da Bahia, Rua Costa (PT), do Mato Grosso, Mauro Mendes (DEM), do Piauí, Wellington Dias (PT), do Alagoas, Renan Filho (MDB) e da Paraíba, João Azevedo (Cidadania).

Dentre os secretários estaduais de Saúde, é possível identificar André Longo, de Pernambuco, Ismael Alexandrino, de Goiás, e Carlos Lula, do Maranhão, além de Eduardo Corrêa Tavares, secretário de Planejamento do Amapá. Também foi possível identificar representantes do governo do Rio Grande do Norte, assim como do secretário executivo do Consórcio Nordeste, Carlos Gabas.

A Anvisa permitiu ontem (4) a importação excepcional da Sputnik V e da Covaxin também em caráter excepcional, mas estabeleceu uma série de limitações para uso dessas vacinas no Brasil, como o uso somente para adultos entre 18 e 60 anos, sem comorbidades e não vacinados. A agência também determinou o monitoramento dos resultados.

Fonte: R7

 

SINDICATO DOS JORNALISTAS PROFISSIONAIS DE SÃO LUÍS

                                                                                                     NOTA DE PESAR

Com imensa consternação, registramos o falecimento do jornalista Juracy Meireles, conceituado repórter- fotográfico, ocorrido na madrugada de sexta-feira (4), vítima de complicações cardíacas.

 Externamos nosso profundo pesar em nome dos profissionais da comunicação e enviamos à sua família e amigos, as nossas condolências, rogando a Deus que os conforte neste momento de tristeza e saudade.

 A DIRETORIA

 

Escolas públicas fechadas fará geração de alunos perder R$ 700 bilhões de renda de aprendizagem

Previsão pode chegar a R$ 1,5 trilhão no fim do ano, se não voltar pelo menos o ensino híbrido pelo déficit de aprendizagem na pandemia.

  • Pesquisa mostra que fechamento das escolas públicas durante a pandemia pode levar a grande perda de renda dos alunos
  • Esse valor por chegar a R$ 700 bilhões
  • Número equivale a um décimo do PIB

Com as escolas públicas fechadas devido à pandemia da covid-19, a geração de estudantes que precisou assistir aulas online em 2020 deve ter uma perda de renda de R$ 700 bilhões, o que corresponde a um décimo do PIB (Produto Interno Bruto) do país. De acordo com estudo do Instituto Unibanco e do Insper divulgado na última terça-feira (1º), essa previsão pode aumentar para R$ 1,5 trilhão no fim do ano, caso não haja volta pelo menos do ensino híbrido (em que há aulas online e presenciais).

A previsão da diminuição da renda dos alunos pela vida toda tem como motivo o déficit de aprendizagem na pandemia, já que, nesse período, não foi possível seguir a trajetória de desenvolvimento esperada para os estudantes que cursam o ensino médio em escolas públicas.

Retrocesso

Na escala do Saeb (Sistema de Avaliação da Educação Básica), esses educandos já começaram perdendo 9 pontos em português e 10 em matemática. Ou seja, quem estava no 2º ano do ensino médio só absorveu 25% do esperado para cursar o 3º ano de forma adequada.

Caso a situação permaneça como está até o fim do ano, o conhecimento dos estudantes pode retroceder a algo próximo do que sabiam no ensino fundamental, com perda de 20 pontos.

Segundo o economista Ricardo Paes de Barros, que lidera a pesquisa, essa situação “afeta o estoque humano, a capacidade criativa do país”. Para ele, se nada for feito no curto, médio e longo prazo, “esses jovens serão menos produtivos e o Brasil vai produzir menos durante décadas”.

Fonte: Yahoo Finanças

 

Anvisa aprova importação da Sputnik V com ressalvas e o Maranhão comprará 141 mil doses

Compra das vacinas russas e indiana foram liberadas com restrições; imunizantes não têm autorização para uso no país

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) aprovou, nesta sexta-feira (4), a importação das vacinas indiana Covaxin e russa Sputnik V, com ressalvas. A decisão foi tomada durante reunião extraordinária realizada de forma remota pela diretoria colegiada. Apenas a diretora Cristiane Gomes votou contra a autorização de importação dos imunizantes.

O pedido de importação da Sputnik V foi feito pelos estados da Bahia, Maranhão, Sergipe, Ceará, Pernambuco e Piauí; e o da Covaxin, pelo Ministério da Saúde, que já havia encomendado 20 milhões de doses. Vale ressaltar que ambos os imunizantes não dispõem de autorização para uso emergencial nem de registro definitivo no país.

A fala “essas vacinas não possuem a avaliação da Anvisa quanto a qualidade, eficácia e segurança”, foi unânime durante a apresentação dos pareceres dos gerentes técnicos da Anvisa, que também teceram as ressalvas relacionadas à autorização de importação.

No caso da Sputnik V, foi apresentado um relatório técnico emitido pela autoridade sanitária da Rússia, um dos requisitos previstos na lei de importação de vacinas. Já a Precisa Medicamentos, representante da Covaxin no Brasil, não apresentou o relatório.

Segundo o voto do relator, Alex Machado Campos, cada estado do Nordeste deve receber doses suficientes da Sputnik V para vacinar apenas 1% da população, de acordo com o calendário de junho: Bahia 300 mil doses, Maranhão 141 mil, Sergipe 46 mil, Ceará 183 mil, Pernambuco 192 mil e Piauí 166 mil.

Sobre a Covaxin, o Ministério da Saúde poderá repassar apenas 4 milhões de doses na primeira etapa de importação, que deve ocorrer de forma controlada. O número pequeno da população a ser vacinada nas primeiras remessas servirá como monitoramento da Anvisa para avaliar a segurança dos produtos em uma “unidade de controle”, nas palavras do relator. Novas remessas serão liberadas de acordo com a avaliação da agência nestes primeiros grupos. A aprovação de importação das vacinas ainda vai exigir assinatura de acordo entre as autoridades que entraram com o pedido e a Anvisa, para que as contraindicações dos imunizantes sejam seguidas.

Contra Indicação e Restrição de Uso das Vacinas:

– As vacinas não deverão ser utilizadas por pessoas com hipersensibilidade a qualquer dos componentes da fórmula; gravidez, lactentes menores de 18 anos, mulheres em idade fértil que desejam engravidar nos próximos 12 meses; por pessoas com enfermidades graves ou não controladas (cardiovascular, respiratória, gastrointestinal, neurológica, insuficiência hepática, insuficiência renal, patologias endócrinas) e antecedentes de anafilaxia.

– Não poderão receber essas vacinas pessoas que tenham recebido outra vacina contra covid-19; que tiveram febre, HIV, hepatite B ou C; que tenham se vacinado nas 4 semanas anteriores; tenham recebido imunoglobulinas ou hemoderivados 3 meses antes; tenham recebido tratamentos com imunossupressores citotóxicos, quimioterapia ou radiação 36 meses; tenham recebido terapias com biológicos incluindo anticorpos anticitocinas e outros anticorpos.

Além disso, os estados também deverão suspender a importação, distribuição, e uso das vacinas, caso a Anvisa e a OMS (Organização Mundial da Saúde) reprovem o uso emergencial desses imunizantes.

Os estados também deverão encaminhar à Anvisa, mensalmente, relatório de avaliação benefício-risco das vacinas, contendo resultados de segurança e efetividade de cada lote autorizado para a importação. Eventos adversos graves e eventuais queixas técnicas deverão ser comunicadas à Anvisa em até 24 horas.

Fonte: R7