Rompimento entre Flavio Dino e Weverton Rocha começa a sair dos bastidores e se torna iminente

A iniciativa do ex-governador José Reinaldo Tavares, atualmente na equipe de articuladores políticos do Palácio dos Leões, de vir a público desfazer especulações de que o governador Flavio Dino estaria disposto a antecipar a sua renúncia para favorecer o vice-governador Carlos Brandão, foi uma demonstração de que o rompimento entre o governador e o senador Weverton Rocha, está praticamente definido. A afirmação de José Reinaldo Tavares de deixar bem claro que a especulação era de políticos ligados ao senador Weverton Rocha, ficou bem claro que chegou a hora de vaca não conhecer bezerro.

A guerra entre Flavio Dino e Weverton Rocha deixa o campo das especulações e vai para a foice e o martelo, para ver quem mais roupa na fonte. A verdade é que o governador Flavio Dino tem estimulado assessores a cooptarem prefeitos da então base de Weverton Rocha para virem fortalecer Carlos Brandão, mas alguns resistem em razão de que sabem que Flavio Dino não é de honrar compromisso e aguardam entendimentos com Carlos Brandão.

Também já é vista como promissora uma tentativa de mudança na Assembleia Legislativa do Estado para um maior enfraquecimento das pretensões do senador Weverton Rocha. A atual conjuntura já deixa claro a impossibilidade de entendimentos entre o governador e o senador pela radicalização dos dois aos seus interesses, mas como na política o interesse pessoal é sempre maior do que o ideológico, muitos bicudos acabam se beijando e o que foi dito, acaba ficando por conta do não dito.

Enquanto isso, a oposição com a potencial liderança da ex-governadora Roseana Sarney, é no momento, apenas uma espectadora esperando que o mar pegue fogo para comer peixe assado. Há dentro do governo, políticos que acreditam que pode haver entendimentos, muito embora no momento o caldeirão ainda não está em ebulição, mas ao invés da temperatura subir, pode baixar, mas se for o contrário, o caldo entorna.

Fonte: AFD  

Afonso José Dias Alves

A VERDADE que o Senador já sábia há MUITO tempo.tendoxem vista que o Governador não trocou seu vice na reeleição PARA 2 MANDATO. mais assim TÁ bom vamos vê QUEM tem café no Bule.

Silva

A renúncia do governador seria um prêmio ao povo maranhense. Pena que ele sai sem ter dado um único aumento ao funcionalismo público durante os seus dois mandatos, fato inédito na história política do Maranhão.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *