Quando é que a CPI dos Transportes vai aos terminais ver a realidade do sofrimento do povo?

São cada vez mais precários os serviços de transportes coletivos em São Luís. As principais causas são faltas de números suficientes de ônibus para atender a demanda, o que origina acentuados grupos de passageiros, não apenas nos terminais, mas nas paradas e superlotações, que infelizmente são obrigados a disputar acesso aos coletivos. Idosos, estudantes e deficientes não entram na briga e muito menos os cadeirantes, os mais excluídos dos seus direitos de ir e vir.

O vereador Francisco Carvalho, presidente da CPI dos Transportes que vem pregando uma participação dos mais diversos segmentos da sociedade em informações, terá oportunidade de ver o sofrimento das pessoas nos terminais, que todos os dias têm que enfrentar desafios para se destinar ao trabalho e retornar para casa, caso se disponha a olhar de perto com os demais membros, uma realidade cruel e altamente excludente para os usuários dos transportes coletivos.

A verdade é que não existe mais espaços para improvisos, o que se faz necessário são atitudes do poder público em fazer valer um serviço de transporte, que atenda a população pelo menos próximo de uma qualidade razoável, anseio coletivo, que vem sendo tratado com discursos, engodo e desrespeito, que não se sustentam em promessas futuristas, que nunca são honradas. Para grande parte da população, a CPI dos Transportes Coletivos é vista com desconfiança, diante da força dos empresários e muitos políticos que sempre colocam os seus interesses pessoais acima dos coletivos.

Fonte: AFD

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *