PSB pensa em “pular a cerca” e ir atrás de Ciro Gomes

O ex-governador Alckmin gastou seu capital político rapidamente e pode deixar de ser uma liderança em São Paulo para se tornar apenas uma ‘moeda de troca’ no tabuleiro político. Geraldo Alckmin se desfiliou do PSDB no último dia 15 com o compromisso de se filiar ao PSB (Partido Socialista Brasileiro), o que ainda não ocorreu.

Mesmo assim, o PSB faz de Alckmin sua principal moeda de troca e, para cede-lo como vice do ex-presidiário Lula, exige que o PT apoie o PSB no Rio Grande do Sul, na figura do deputado estadual Beto Albuquerque; e que Fernando Haddad abra mão de sua candidatura ao governo de São Paulo para apoiar Márcio França (PSB-SP).

Ou seja, o PSB acredita em “Papai Noel”.

Isso deixou a cúpula do PSB irritada com o PT em relação às alianças regionais e já se fala em desistir da aliança entre Lula e Geraldo Alckmin para unir forças com o PDT de Ciro Gomes.

Claro que é um blefe, difícil que o PT caia nessa. De qualquer forma, uma rixa entre esquerdistas é sempre uma coisa boa para o país.

Fonte: Correio Braziliense

 

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *