Para o procurador Aras, os ataques entre Bolsonaro e Barroso são recíprocos

O procurador-geral da República, Augusto Aras, já sinalizou a interlocutores que não vê cometimento de crimes por parte do presidente da República em seus ataques contra o ministro Luís Roberto Barroso. Aliás, os ataques têm sido recíprocos.

O PGR não pretende entrar em confronto com Bolsonaro. O posicionamento de Aras é, sem dúvida, a primeira derrota do STF no embate anunciado com o presidente da República.

Aras demonstra coerência.

De fato, os ‘crimes’ que devem ser investigados não foram cometidos pelo presidente Bolsonaro, que tem agido no limite das quatro linhas da Constituição. Todavia, o mesmo não se pode dizer com relação a alguns ministros do STF.

O ‘esquecimento’ do deputado Daniel Silveira numa cela da prisão, mesmo com o pagamento da fiança arbitrada, é um notório abuso e uma absurda ilegalidade.

Jornal da Cidade Online

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *