O sofrimento da população com a greve dos coletivos não consegue sensibilizar as autoridades

A população de São Luís está sendo severamente punida por empresários e rodoviários e por extensão pelas autoridades, que dão demonstrações fragilidades para resolução de um problema que é de responsabilidade do poder público. Tem gente sofrendo muito com a greve, que afinal de contas reflete muito forte naqueles que precisam lutar todos os dias em busca do pão para a sua família.

Infelizmente as autoridades estão se rendendo às imposições de empresários e rodoviários com a greve, que hoje chega ao sexto dia e com um impasse para a resolução do problema. Três decisões da Justiça do Trabalho estabelecendo um percentual de 90% da frota em circulação, foi recebida com indiferença pelos grevistas e que vêm impondo as suas regras. O jogo sujo de empresários e rodoviários é antigo e utilizado constantemente, o que já seria suficiente para cassar concessões de várias empresas. O primeiro deixa de honrar o acordo coletivo de trabalho em articulação com os dirigentes sindicais dos rodoviários, com a desculpa de relatos que estão operando no vermelho e por sua vez a categoria como massa de manobra faz greve, e o resultante é um reajuste nas tarifas das passagens. Independente de greve, constantemente surgem paralisações dos serviços de algumas empresas, tudo bem articulado, em que as autoridades fazem de conta que não vêm.

Outro fator muito sério e de conhecimento público é que os empresários sempre manipularam com os serviços do transporte coletivo, impondo regras em que prevalecem os seus interesses e a população é quem mais sofre, pagando passagens caras para um serviço em que não existe um mínimo de qualidade, além de abandonar quase que diariamente usuários em ruas e avenidas com panes em ônibus velhos e sem condições de circulação, sem falarmos nas superlotações pelo reduzido número de ônibus.

Não tenho dúvidas de que a greve chegará ao fim, quando do dissídio coletivo pela Justiça do Trabalho, que mesmo sendo desrespeitada pelas suas decisões liminares, acabará estabelecendo um percentual de reajuste como compensação para os constantes aumentos dos preços dos combustíveis e peças de reposição, o que realmente eles querem.

O prefeito pelo menos mostrou a cara e tentou uma cartada como proposta, que não seria levada em consideração, em razão de que o mote dos grevistas é reajuste de tarifa. A Câmara Municipal de São Luís não se mobiliza, dando uma plena demonstração de que o povo lhe interessa apenas quando do voto. Discursos em plenário é um jogo vencido e que não convence mais ninguém, mesmo se sabendo que existe relações bem estreitas entre empresários e a maioria dos vereadores.

Fonte: AFD

 

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *