Marcos Rogério faz grave revelação e dispara: “CPI imprestável com omissão a corrupção”

O senador Marcos Rogério usou suas contas nas redes sociais para divulgar um vídeo de uma declaração sua, onde fala, com indignação, sobre o fato de que a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid, se recusou a investigar as evidências de irregularidades cometidas pelo Consórcio de Governadores do Nordeste, que teria pago mais de R$ 50 milhões na compra de respiradores, os quais segundo os governadores inocentes, pagos adiantados e nunca entregues e muito menos investigados. O dinheiro era destinado para o enfrentamento a covid-19.

“Carlos Gabas foi convocado em CPI da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte, mas usou de habeas corpus para não se comprometer. Em Brasília, a CPI segue se omitindo, se esquivando das inúmeras provas e evidências de corrupção nos estados”, explicou ele.

“Ninguém quer dar explicação sobre o que aconteceu no Consórcio Nordeste. E ali tem um rombo bilionário, inclusive com delação no processo, com acusação de que alguém se favoreceu, de que alguém foi beneficiado. […] Por que a CPI do Senado Federal não quer ouvir alguém que é acusado de um crime de corrupção com provas bem  evidentes, e fica aqui, gastando o tempo de todos nós, discutindo questões que não levam a nada?”

E apontou que a CPI continua tentando criar narrativas contra o governo do presidente Jair Bolsonaro:

“Não há uma prova, uma evidência contra o governo federal, mas eles insistem. Agora querem trazer o ministro da Saúde novamente. Por que? Porque o ministro tem que explicar a decisão da Conitec?”, questionou ele.

O senador aproveitou para deixar clara a sua decepção com a maneira como a CPI foi conduzida e lamentou a maneira como a Comissão chega à sua reta final:

“Não quer investigar o Consórcio Nordeste, o que aconteceu nos estados, nos municípios. Eu lamento que a CPI esteja chegando a esse fim de maneira tão melancólica, tão imprestável. Porque ela deveria ter feito a investigação com relação ao ministério da Saúde, mas jamais escolher proteger gestores fraudulentos, que deram prejuízos ao erário público, e que prejudicaram a vida, principalmente de nordestinos.

Esse caso do Consorcio Nordeste é um caso, realmente, triste, porque houve uma blindagem na CPI para que não fosse investigado. Quem sabe até a semana que vem eles reflitam e decidam convocar, aqui, o senhor Carlos Gabas”, declarou Marcos Rogério.

Jornal da Cidade Online

 

 

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *