Quebradores de coco foram mortos e esmagados por palmeira derrubada por trator de fazendeiro

A violência no campo, infelizmente continua avançando por falta de ação do Governo do Maranhão. Há suspeita de que o crime tenha sido premeditado e relação com conflitos agrários. Caso foi registrado na comunidade Bom Lugar no município de Penalva, onde várias famílias são ameaçadas por grileiros e empresários rurais.

Maria Correia e Júnior Correia, mãe e filho, infelizmente foram mais duas vidas ceifadas pela violência perversa a excludente das lutas pela posse da terra, em que  pequenos posseiros são ameaçados até serem expulsos de terras de descendências seculares .Há poucos dias a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil – Regional do Maranhão se posicionou publicamente em defesa dos pobres e oprimidos e solicitou do Governo do Maranhão, um basta para tanta violência e uma imediata ação para regularização fundiária no Estado, além de medidas urgentes para conter a violência armada contra posseiros. O Governo do Estado tem o dever de retirar grileiros e empresários do agronegócio de terras devolutas, investigar fraudes em cartórios e garantir os direitos de posseiros, muitos dos quais são impedidos de ir e vir.

A Polícia Civil está investigando a morte de dois quebradores de coco que foram esmagados por palmeiras que, segundo denúncias, teriam sido derrubados propositalmente por um fazendeiro na Comunidade Bom Lugar, em Penalva, a cerca de 250 km de São Luís.

O caso foi registrado na tarde dessa sexta-feira (12) quando Maria José Rodrigues, de 78 anos, e José do Carmo Correia Junior, de 38 anos, estavam coletando coco babaçu quando foram surpreendidos pela queda da palmeira. Testemunhas informaram que um trator derrubou a árvore.

Para a Secretaria de Direitos Humanos e Participação Popular do Maranhão (SEDIHPOP), a palmeira foi derrubada a mando de um fazendeiro que pretendia plantar capim na área do palmeiral. O Movimento Interestadual das Quebradeiras de Coco Babaçu diz ainda que há suspeita de que havia marcas da passagem do trator no local. Mãe e filho quebradores de coco morreram esmagados por palmeira em Penalva, de maneira covarde, marca bastante conhecida do grileiros e fazendeiros.

A Polícia Civil informou ainda que o proprietário do trator se apresentou na delegacia e informou o nome do funcionário que dirigia a máquina, assim como o nome do homem que se diz dono das terras, que poderia ter adotado imediatamente as devidas e necessárias providências em situação de flagrante. O depoimento de ambos está marcado para esta segunda (15).

                A covardia contra quebradores de coco

Maria tinha deficiência auditiva, enquanto o filho era deficiente cognitivo. Representantes ligados a entidades de defesa de comunidades tradicionais dizem que o clima na região é tenso e o medo por parte dos trabalhadores rurais é que novas mortes possam ocorrer, diante de inúmeras ameaças. Equipes da Comissão Estadual de Prevenção à Violência no Campo e na Cidade acompanham o caso e também investigam possíveis ilegalidades cometidas na comunidade, que enfrenta intensos conflitos agrários.

Fonte: G1 Maranhão e AFD

 

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *