Luta pela Famem é para ver quem tem mais roupa na fonte entre Carlos Brandão e Weverton Rocha

A luta ferrenha que vem sendo travada entre o vice-governador Carlos Brandão e o senador Weverton Rocha pelo domínio da Federação dos Municípios do Maranhão – Famem é que o vencedor poderá aglutinar muitas forças políticas dispersas, contrárias ao governador Flavio Dino, depois do seu pífio desempenho nas eleições municipais e a vergonhosa derrota em São Luís, quando tentou mostrar força e liderança e acabou dando com os burros n’agua. A verdade é que a luta entre o vice-governador e o senador é sobre a indicação de um nome pela situação para a disputa do governo do estado em 2022.

O Carlos Brandão, como vice-governador e a natural renúncia do governador Flavio Dino para se candidatar ao senado federal para se manter vivo na política, ele terá o pleno direito de ser candidato à reeleição, uma vez que estará no pleno exercício democrático do poder executivo. Quanto ao senador Weverton Rocha poderá ser candidato com uma coligação que seria liderada pelo PDT, o que proporcionaria um racha com muitos conflitos sérios

Caso o jogo político tenha essa trajetória, o grupo de Weverton Rocha terá também um candidato a senador, que não será Flavio Dino. Sob a ótica da situação governista, poderá vir a ser concretizado um racha, que não está descartado, principalmente pela fragilidade do governador Flavio Dino, que demonstra não ter forças para contemporizar o sério problema que está apenas se iniciando com a disputa pela Famem. Outro fator sério é que a Famem, não tem força de liderança atualmente, mas poderá se constituir em uma entidade de decisão e ter participação efetiva na eleição para o governo do estado em 2022 e até indicar um candidato a vice-governador.

Para muitos observadores políticos, o governador Flavio Dino fala muito e na maioria das vezes, o que não deve na sua obsessão psicótica de ser candidato a presidência da república e procura mostrar que a sucessão estadual passará diretamente por ele. O seu autoritarismo com políticos e mais precisamente o tratamento deselegante e até deprecativo com alguns prefeitos, mostrou o efeito nas últimas eleições, quando conseguir eleger com seu apoio, apenas 22 prefeitos, enquanto o vice-governador Carlos Brandão elegeu 25, vindo a seguir o deputado federal Josimar de Maranhãozinho com 40 e o grande vencedor foi senador Weverton Rocha com 42, quase o dobro de Flavio Dino. Diante do que está exposto, resta agora a expectativa do pleito marcado para amanhã (14).

A verdade é que a oposição, estrategicamente vem acompanhando os fatos e espera o desfecho um possível racha e acredita em dissidências, daí é que está de portas abertas à espera dos que realmente acreditam em um projeto democrático para o Maranhão.

 

 

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *