IBGE contradiz Flavio Dino e o Maranhão tem taxa recorde de desemprego no país

Além disso, o Maranhão (20,8%) e Alagoas (17,9%) tiveram os maiores percentuais de desalentados na força de trabalho.

O Maranhão é o estado com a maior taxa de informalidade entre todos os estados do país no 1º trimestre, na comparação com o trimestre encerrado em dezembro. Os dados são da pesquisa divulgada nessa quinta-feira (27) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que apontou recordes de taxa de desocupação e pessoas sem trabalho no país.

Segundo o levantamento, o Maranhão possui uma taxa de informalidade de 61,6%. A taxa de informalidade é a proporção de trabalhadores informais ocupados em relação ao total de trabalhadores ocupados

Junto com o Maranhão, as maiores taxas de informalidade ficaram com Amazonas (59,6%) e Pará (59,0%) e as menores, com Santa Catarina (27,7%), Distrito Federal (29,3%) e São Paulo (29,5%).

Além disso, o Maranhão (20,8%) e Alagoas (17,9%) tiveram os maiores percentuais de desalentados na força de trabalho. Santa Catarina (1,1%), Mato Grosso (1,7%) e Paraná (1,9%), os menores. A população desalentada são pessoas que não trabalharam na semana da pesquisa e gostariam de ter um emprego, mas desistiram de procurar. Essas pessoas são consideradas fora da força de trabalho.

Essa mesma pesquisa apontou que o desemprego no Maranhão atingiu a taxa recorde de 17% no 1º trimestre de 2021, em meio aos desafios impostos pela piora da pandemia no país. O índice estadual ficou acima da média nacional de desemprego, que foi de 14,7% durante o mesmo período.

Além disso, a taxa de informalidade foi estimada em 53,3% no Nordeste e 55,6% no Norte, as únicas regiões que ficaram acima da média nacional (39,6%). Dos 34 milhões de trabalhadores informais do país, 10,2 milhões estão no Nordeste e 3,4 milhões, no Norte. Entre as unidades da federação, a maior taxa de informalidade foi estimada no Maranhão: 61,6%.

De acordo com o IBGE, 12 estados registraram recorde histórico da taxa de desemprego: Rondônia, Tocantins, Maranhão, Piauí, Ceará, Pernambuco, Alagoas, Sergipe, Bahia, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Goiás.

As maiores taxas de desocupação foram em Pernambuco e Bahia (ambos com 21,3%), seguidos por Sergipe (20,9%) e Alagoas (20%). Já as menores foram as de Santa Catarina (6,2%), Rio Grande do Sul (9,2%), Paraná (9,3%) e Mato Grosso (9,9%), as únicas abaixo de 10%.

Fonte: G1

 

anthonymuz

Aldir Dantas:
Eu acredito que o senhor conheça o pensador italiano Antonio Gramsci,_ considerado_ o Guru da Nova Esquerda, e ele é claro em afirma que a Mentira é a Arma mais Eficaz que a Esquerda pode usar para enganar as massas… entretanto, ele deixou um legado interessante e que os caras que leram _tais como os Intelectuais orgânicos que atual em nosso país sabem de cor e salteado! Vejamos o que esse cara disse sobre este Momento: _ “A conquista do poder cultural é anterior à do poder político”, e isso é alcançado “através da ação concertada de intelectuais chamados ‘orgânicos” “infiltrados em todos os meios de comunicação, de expressão e acadêmicos”. Ora, como é que se pode contestar os dados que os governadores de todos os 26 estados e mais o do DF, se todos os meios de comunicação estão a serviço dos poderes desses executivos, se a única fonte que as massas dispõem são somente as dita Mídias sociais , mas , que até elas estão a fazer censura? Que o Maranhão_ feudo de políticos inescrupulosos_ está como sempre esteve, na rabeira de todos os indicadores sociais todos no Brasil sabemos, mas , o que fazer se nossas vozes foram _ou sempre silenciadas ? Para que compreendamos isso , o Italiano nós deixou uma de seus libelos mais interessantes: _ “A crise consiste precisamente no fato de que o velho está morrendo e o novo ainda não pode nascer. Nesse interregno, uma grande variedade de sintomas mórbidos aparecem.”_ Desde a morte de Getúlio, o Maranhão foi dominados por um sistema hierárquico, e que nem mesmo o regime do militares de 1964 foi capaz de abalá-lo e por isso, estados em que essas velhas hierarquias criaram suas raízes, nem mesmo o “CUPIM DO TEMPO” tem sido forte o suficiente para arruinar suas estruturas … Não é atoa que Maranhão , Alagoas , Piauí, e Ceará e etc , mantem-se com esses indicadores sociais irrelevante… Ora, a eleição de Bolsonaro foi para a velha hierarquia de poderes um erro de percurso e Antonio Gramsci tem razão em afirmar que : “A crise consiste precisamente no fato de que o velho está morrendo e o novo ainda não pode nascer. Nesse interregno, uma grande variedade de sintomas mórbidos aparecem.”_ O Novo, neste caso especial está no fato de que o Velho sistema não foi arrancado pela raiz e se recusa ceder seu lugar para o Novo! Que o Maranhão não está lá essa “Coca Cola” , nem precisa que o IBGE reporte essas pesquisas … O Maranhão é um dos Estados que mais exporta mão de obras para estados como: Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Mato Grosso e São Paulo, não porque esses cidadão queiram ir para esses Estados, vão, porque querem fugir da miséria e do Desemprego forçado! E digo mais, se aproximadamente esse 200.000 (duzentos mil) jovens não estivesse ido pra esse estados, com certeza , os índices de miséria estariam muito pior… Já pensaram se o famigerado Fique em casa tivesse sido observado em sua totalidade, qual seria o índice de miséria reinante? Mesmo assim, eu ainda acho(desculpem meu achismo) que o IBGE pode ter errado em seus entabulamentos… Eu pensei num índice ainda mais catastróficos…

Maria

Anthonimuz, você foi preciso, certíssimo.
Assim é a Esquerda, mentirosa, enganadora e corrupta.
O Maranhão, como todo o Nordeste vive sob o domínio das Oligarquias há séculos l. São poderosas, mas, nenhuma interesse em promover o progresso de seus Estados.
Apenas visam o poder político e enriquecerem.
Parece que o Maranhão é o pior exemplo, com a família Sarney.
Lamentável, temos um potencial tão promissor, com o agronegócio a pesca e o turismo e nada é feito.

anthonymuz

Maria: O maior problema está no fato de que “Aquele ” que quer ser visto como novo, tem os pés fincados nas mesmas raízes que deram origem aos que criaram todo esse sistema hierárquico em que se vide! Tudo começou nos idos de 1965 , quando nasce um novo líder no Maranhão, que parecia desfraldar a Bandeira da liberdade e progresso em nossas terras… Eu, com meus 70 anos, seio quem foram os responsáveis por todo nosso atraso histórico, que apesar de todas essas supostas mudanças que ocorrem , o Maranhão não consegue seguir seu caminho sem está de alianças na mão “Esquerda” com o Estado de Alagoas! Eu acredito, que temos um nome novo na política do nosso Estado , que é o Eduardo Braid, prefeito de São Luís… Não seio se ele topa deixar o governo municipal e enfrentar esse desafio! Do Contrário, seremos eternos utopistas sem perspectivas de mudanças! A mentira sempre será uma arma importante para a assegurar que os bloqueios nunca sejam furados!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *