General Villas Boas expõe hipocrisia e interesses escusos dos críticos das políticas ambientais do governo

O General Villas Boas foi ao Twitter para publicar um texto em que expõe a hipocrisia e os interesses escusos por trás do discurso bonito de defesa do meio ambiente adotado por alguns dos críticos das políticas ambientais do governo Bolsonaro.

Para o militar, as críticas são uma tentativa de criar barreiras não tarifárias aos produtos brasileiros e a imprensa e os intelectuais deveriam aprender que essas são “as táticas usadas pelo moderno imperialismo”. Villas Boas ainda elogiou a posição dos órgãos ambientais brasileiro por não se submeterem a tais pressões.

Segue o texto na íntegra:

“Tão logo o Mercosul assinou o tratado com a União Europeia, deu-se início a uma enxurrada de acusações contra o Brasil usando argumentos ambientalistas indigenistas que incluíram publicações em órgãos de imprensa norte-americana. Na verdade, tratam-se de tentativas de criar barreiras não tarifárias contra nossos produtos. Quando a inteligência brasileira, englobando a imprensa, universidade e partidos políticos, entenderão que essas são as ferramentas empregadas pelo moderno imperialismo? É triste ver a submissão que houve no Brasil durante tanto tempo.

Nenhum país do mundo tem autoridade para ensinar o Brasil como devemos tratar o nosso meio ambiente. A Noruega ainda caça baleias, explora petróleo dentro do círculo Polar Ártico e detém 30% das ações da mineradora Hydro Alunorte, que promoveu o derramamento criminoso de metais pesados em Barcarena, no Pará, sem que se saiba ter-lhe sido aplicada nenhuma sanção. A Alemanha tem uma matriz energética mais poluidora do que a nossa. E aos Estados Unidos, que age motivado pelo lobby do seu agronegócio, que se sente ameaçado pelo Brasil, perguntamos: onde estão os seus índios? O Brasil, por seu lado, está à frente do cumprimento das metas da reunião de Paris. Bem fazem os responsáveis por nossos órgãos ambientalistas e indigenistas por não se submeterem a tais pressões. Saberemos desenvolver o Brasil ao mesmo tempo em que preservaremos o meio ambiente e protegeremos os nossos índios”.

Fonte: Jornal da Cidade Online

 

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *