Flavio Dino em luta pela sua candidatura à presidência da república é atropelado por secretários estaduais

                 Não é novidade para ninguém no Maranhão, que o governador Flavio Dino, vem de maneira voraz lutando por espaços na mídia nacional em busca de visibilidade para a sua sonhada candidatura à presidência da república e uma vice seria aceitável para as suas pretensões. O governador já fez algumas correções em suas avaliações políticas e pessoais, como é o caso do ex-presidente José Sarney, que ela já procurou para conversar e hoje se refere a ele com respeito e reconhecimento de um grande líder político nacional.

Enquanto ele persegue o direito de transformar o seu sonho em realidade, alguns secretários estaduais não se alinham à pretensão do chefe maior e daí é que colocam em seus caminhos, algumas cascas de banana para possíveis escorregões. À semana passada Flavio Dino passou pelo desconforto, de ser chamado de mentiroso, quando ao caso do Centro de Hemodiálise, quando da inauguração afirmou que atenderia de imediato 40 pessoas em cada turno e que de imediato acabaria com as filas de atendimento. O que o governador afirmou, lhe foi passado pelo secretário Carlos Lula. Dias depois, o deputado César Pires, de posse de informações que o centro não estava funcionando integralmente, como disse o governador, tratou de averiguar a verdade pessoalmente.

Foi ao Centro de Hemodiálise e constatou que das 40 cadeiras, apenas 14 estavam em pleno funcionamento, as demais ainda estavam lacradas, tendo inclusive feito um vídeo para dar mais autenticidade à sua denúncia. Depois de muitos prós e contras, finalmente o secretário Carlos Lula se rendeu a verdade e acabou ratificando o que César Pires havia informado e automaticamente fez Flavio Dino passar por mentiroso.

O outro secretário foi Murilo Andrade, que foi para as redes sociais postar foto de presos em posição de luta, destacando como ressocialização no Sistema Penitenciário do Maranhão, o karatê como capacitação para defesa pessoal. O secretário foi tão inconsequente e até irresponsável em afirmar publicamente que luta marcial dentro de unidades prisionais é política de ressocialização, além de colocar em risco a vida dos servidores das unidades com conflitos e confrontos no Sistema Penitenciário. O Palácio dos Leões lhes passou uma descompostura e determinou que imediatamente suspendesse todas e quaisquer lutas e outros procedimentos semelhantes. Murilo Andrade que já não vem sendo bem visto pelo governador, pisou na bola, justamente quando afetou a imagem de Flavio Dino, na sua peregrinação de luta em busca de uma candidatura à presidência da república.

O que se comenta é que diante dos dois fatos, o Palácio dos Leões teria distribuído uma circular a todo o secretariado, fazendo observações quanto as suas manifestações públicas envolvendo questões governamentais e mais precisamente sobre Flavio Dino.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *