Fiscalização contra desvios de benefícios e distribuição de cestas básicas na crise do convid-19

Partidos políticos e entidades da sociedade civil organizada manifestam preocupação, quanto a distribuição de benefícios dos governos federal e estadual para pessoas que perderam seus empregos e mais precisamente para as famílias que passam fome e vivem na extrema pobreza. Em alguns Estados existe o temor de que políticos oportunistas em pleno ano eleitoral utilizem os benefícios como clientelismo para até mesmo, a compra de votos.

Em alguns Estados, está sendo pedida a fiscalização dos Ministérios Públicos Estadual e Federal, além de que a distribuição seja feita pelo exército, que inclusive tem acentuada experiência em ações de tal natureza, evitando assim qualquer utilização por políticos inescrupulosos, visando através do roubo de consciências em um momento grave que o país e o mundo atravessam, para tirarem partido para benefícios próprios.

Entidades e políticos defendem ampla transparência, uma vez que nos casos de distribuições de cestas básicas, os políticos muitas vezes não estão presentes, mas têm os seus prepostos que fazem parte das equipes e assim vão exercendo o papel clientelista  em favorecimento de candidatos, indicando comunidades e desviando rumos das ações.

Para alguns políticos com a distribuição de mantimentos concentrados nas mãos de governadores e prefeitos, não há dúvidas de que,  os desvios com certeza acontecerão, daí a necessidade de fiscalização dos Ministérios Públicos Estadual e Federal, Defensoria Pública, entidades da sociedade civil e a própria população com denúncias as Polícias Civil e Militar e a Polícia Federal.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *