Falta pessoal, viaturas e serviço de inteligência às polícias para combate à violência, diz o coronel Ivaldo Barbosa

O coronel Ivaldo Barbosa, conhecido em São Luís e no Maranhão pelas ações desenvolvidas sempre em defesa da sociedade, decidiu se manifestar diante da crescente violência na capital e no estado. Mesmo na reserva remunerada, o coronel não consegue se ver distante da Polícia Militar e dos anseios coletivos, que muitas vezes o sensibilizaram, quando de ações de prevenção e repressão, que comandou nos mais diversos bairros da capital e com maior intensidade na periferia.

Lamento e me preocupo bastante, quando tomo conhecimento dos mais diversos crimes em que muitas pessoas morrem covardemente, como são os casos de feminicídios, os assaltos, os sequestros, as quase que diárias violências dentro dos coletivos, sem falarmos na banalização dos roubos praticados nas ruas da cidade, em que a maioria são idosos e estudantes, mas em que também estão inclusos dentro do contexto, muitos pais e mães de famílias, diz o coronel.

                         Polícias Militar e Civil estão sucateadas

Antes que se cobrem as polícias militar e civil, necessário se torna ressaltar a verdade sobre as duas importantes instituições. Por falta de investimentos do Governo do Estado, elas estão sucateadas e altamente deficientes, quanto a questão de recursos humanos, viaturas e inteligência com equipamentos modernos. A verdade é que hoje a maioria das ações eficientes das instituições policiais, devem ser computadas em sua maioria, a eficiência, zelo e compromisso dos profissionais que a executam quer sejam militar e civil, destaca o coronel Ivaldo Barbosa.

Para colocar a Polícia Militar em condições normais para os serviços de prevenção e repressão, seriam necessários hoje mais de duas mil viaturas e uma reposição de recursos humanos de pelo menos três mil soldados. O interessante dentro do contexto é que se houver a nomeação de três mil militares, quando forem incorporados representam na verdade apenas 2.700, uma vez que inúmeros são aposentados e outros estão em tratamento de doença, em que a doença mental é o maior número.

Outro fator muito sério e que tem concorrido para muita violência no interior do Estado, principalmente quanto aos assaltos a bancos e estabelecimentos comerciais de grande porte, é falta de delegacias, contingente mínimo de militares, viaturas e armamento moderno para o enfrentamento aos bandidos sempre munidos de armas de última geração.

Aumentam as Organizações Criminosas no Maranhão

É um fato e a Polícia Civil com todas as dificuldades têm identificado inúmeras células de perigosas organizações criminosas que estão se instalando em diversos pontos do Estado, mas infelizmente não dispõe de estrutura capaz para enfrentamento, mas tem com muito trabalho e esforços de equipes identificado e mantém monitoramento e tem conseguido bons resultados na prisão de muitos deles, o que é digno de elogio, afirma o oficial reformado da PM.

Dentro do Sistema Penitenciário e mais precisamente em todas as unidades masculinas e femininas, elas estão presentes e muitos crimes e mais precisamente assassinatos, as ordens vêm delas. Há necessidade de policiais civis capacitados para investigação dentro do Sistema Penitenciário, uma vez que os policiais penais trabalham mais na prevenção, escolta e repressão e a maioria do pessoal que exerce segurança são auxiliares sem a devida e necessária capacitação, uma vez que são selecionadas e indicadas por padrinhos políticos. Há poucos dias tivemos oportunidade de que a Unidade Prisional de Santa Inês foi fechada e 150 presos transferidos para São Luís para a Unidade Prisional do Anil. O local já é superlotado e se coloca em riscos conflitos e confrontos dentro de presídios com um número acentuado de presos.  Neste momento é que falta a presença do Ministério Público, do Tribunal de Justiça e da Defensoria Pública como prevenção a possível violência no cárcere. Justificativa da SEAP, concluir obras no presídio de Santa Inês, mas o comentário geral é que o governo está querendo privatizar vários deles, salienta o coronel.

              Combater a violência é dever dos Poderes Constituídos

Com todas as dificuldades e inúmeras adversidades, as Polícias Militar e Civil do Maranhão peregrinam diariamente na capital e em todo o Maranhão, exercendo verdadeiras missões em defesa da sociedade, mesmo enfrentando muitas críticas, a maioria não procedente. O coronel Ivaldo Barbosa diz, que a segurança não é dever apenas do Estado, mas dos poderes constituídos em que não está apenas o Executivo, mas também o Legislativo e o Judiciário.

Particularmente entendo, que o momento exige um pacto pela Segurança Pública do Maranhão com a união de forças dos segmentos públicos, privados e a sociedade civil como um todo. O momento é de união e posso afirmar que muitos militares reformados desde oficiais a soldados têm muito a contribuir, assim como policiais civis, que vão de delegados, agentes e detetive, defendeu o coronel Ivaldo Barbosa.

Fonte: AFD

 

 

 

 

Afonso José Dias Alves de

O CORONEL TEM RAZÃO. SEMPRE positivo NAS SUAS ações,hoje ELES SE preocupa MAIS com AS ELEIÇÕES DO que verdadeiramente COM SEGURANÇA DO ESTADO e CAPITAL. é BRINCADEIRA.

Afonso José Dias Alves de

O CORONEL TEM RAZÃO. SEMPRE positivo NAS SUAS ações,hoje ELES SE preocupa MAIS com AS ELEIÇÕES DO que verdadeiramente COM SEGURANÇA DO ESTADO e CAPITAL. é BRINCADEIRA.

Nonato Santos

Concordo plenamente com o coronel Ivaldo Barbosa, no que tange os policiais reformados está totalmente correto quando fala que os Policiais Militares e Policiais Civis tem muito a contribuir com a segurança pública, nós somos autorização pela constituição ao porte de arma de fogo, mesmo inativos não podemos ser omissos ao socorro de qualquer cidadão em eminte risco e em último caso estaríamos habilitados a uma intervenção com toda segurança e cautela quando todos os recursos se esgotarem, pois o juramento que nós fizemos só não terá mais eficácia quando não mais estivermos vivos.

Deu-nos a pátria querida como sagrada missão pelo bem do Maranhão oferecer nossas vidas e essa tricolor bandeira que na paz nos agasalhar há de ser nossa mortalha na arrancada derradeira o futuro exaltar heróicos feitos de Glória que estão gravados na história da Polícia Militar

Jairo Everton Diniz

Acabaram com o batalhao Tiradentes com o serviço de inteligência aqui na região das vilas não se pode andar assaltos toda hora ninguém fica mais na porta socorro

Jose gonzaga nunes

Como profundo conhecedor da segurança pública, o Cel Ivaldo sempre teve esse espirito de dá à sociedade maranhense, dias melhores no que tange a segurança do cidadão.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *