Eduardo Braide é o primeiro gestor público a atender apelos dos usuários de coletivos na pandemia

              Desde o inicio da pandemia no Maranhão, acompanho os apelos dos usuários de transportes coletivos de São Luís, principalmente na questão da superlotação nos coletivos, causados pelo reduzido número de coletivos e naturalmente de viagens. Apesar da realidade séria e grave e colocando em risco milhares de vidas todos os dias, em que usuários com certeza levavam o vírus para dentro das suas casas infectando pais, mães, avós e outros parentes. O ex-prefeito de São Luís era impotente em fazer os empresários terem a devida responsabilidade no enfrentamento a pandemia, uma vez que eles manipulavam todos os serviços e ainda penalizam criminosamente os usuários pelo deficientes serviços prestados aos usuários da Grande São Luís.

O prefeito Eduardo Braide, além de mandar fazer a desinfecção dos terminais de coletivos, determinou o imediato aumento da frota, retirando centenas de coletivos de dentro das garagens e a SMTT vai fazer o monitoramento em todas as linhas de transporte integrantes do Sistema Municipal de Transporte Coletivo. A fiscalização quanto ao uso de máscaras dentro dos coletivos, as filas com distanciamento nos embarques, serão acompanhadas com a devida orientação aos usuários. O serviço estava tão esculhambado pelos empresários, que havia usuários em terminais levava mais de duas horas para embarcar num coletivo, que pela deficiência, eles já chegavam superlotados nos terminais e saiam em situação pior.

O serviço de transporte coletivo de São Luís precisa ser revisto, uma vez que depois da farsa as concorrência pública,” o controle do quero, posso e mando”, ficou com um seleto grupo de empresários com respaldo de alguns políticos. Essas correntes de privilégios é que se faz necessário o enfrentamento pelo prefeito Eduardo Braide, que se posiciona a favor dos usuários, o que nunca aconteceu em outras administrações.

 

 

María José Rabelo Santos

Eu todos os dias enfrento uma guerra para entra no ônibus do terminal da Cohama, em numerais vezes fui pisoteada e fiquei encurralada no degrau desse ônibus para poder chegar no trabalho, basta ir às seis horas da manhã e ficar até às sete para ver o que a população enfrenta para poder ganhar o pão de cada dia.

Antónia silva

Que bom..
Pois traz se necessário.
Filas e higienização dos mesmos
Ahhhh.
Mas o que também e oportuno eh refinamentos para os colabore de coletivos..puxa alguns contadores estão precisando .nao SA o nem um pouco urbanos.haja visto que teanportam seres humanos.no meu caso em especial o consórcio preste serviço cohatrac quatro .eh péssimo.

Liusa maria pereira da silva

Sr.Prefeito Eduardo Braide .olhe pra nós tbem aqui do bairro bequimâo.ficamos nas paradas ,a mais de 30 minutos esperando esse cetivo.parada nâo.,modo de dizer ,ao ar livre ,a linha bequimâo ipase .é um terror ,onibus velhos ,uma luta pra passar ,contamos com.sua ajuda .obtigada

NUBIA MARTINS

Eu espero que ele faça um bom trabalho, porque essa smtt n serve de nada qd se trata da fiscalização do transporte público, os ônibus velhos, esperamos por mas de 1:30 por um coletivo, aqui no bairro da vila Embratel (o nome de msm nome que o bairro, durante a semana só temos 3 (três) msm em horários de pico, nos domingos e feriados somente 1(um), segundo informações a TAGUATUR (fez essaredução com o intuito de acabar com a linha, obrigando os usuários a usarem somente o ônibus integrado que faz linha p o bairro, mais caro e com percurso totalmente diferente, isso sem consultar a população local, já ligue inúmeras vezes para o 156 e ninguém atende. Semana passada peguei um ônibus (linha TIBIRI) tão velho que eu fique com a tal da “venha alheia”, porque é ser muito cara de pau o dono de uma empresa cobras 3,70 N passagem e colocar um uma sucata para rodar.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *