Duarte Jr pede pinico ao professor Flavio Dino que vai tirar o aluno da Assembleia

O governador Flavio Dino, que também teve participação efetiva na campanha de Duarte Junior no segundo turno, reconhece que ela foi marcada pelas mentiras do professor e do aluno. Ela foi tão criminosa, que chegou a forjar documentos falsos, em que o Ministério Público Federal e a Justiça Federal tiveram os seus nomes usados abertamente sem qualquer questionamento e o candidato Duarte Junior chegou a dizer que tinha informações de inquéritos sigilosos, que não aparecem em certidões. Não se sabe como foi feita a negociação para o jornal a Folha de São Paulo publicar fakes news para agredir a dignidade e a honra de adversários.

A campanha deles foi rasteira, agressiva e movida pelo ódio da destruição e a sujeira sendo a marca principal para tentar mudar a vontade popular. Conheço muita gente que passou a apoiar Eduardo Braide, inicialmente pelo apoio aberto de Flavio Dino e depois se tornou cabo eleitoral do prefeito eleito, diante das sujeiras e as agressões dirigidas aos seus familiares, que  mesmo diante de todo tipo de baixaria,  manteve-se sereno e respondia com propostas.

No primeiro turno, o irresponsável Duarte Junior, agrediu Rubens Junior, Yglésio Moyses e Neto Evangelista, de maneira rasteira e covarde, uma das suas armas principais.

A mentira tão decantada na campanha com intuito de enganar a população, não contaminou a maioria das pessoas e o resultado é até na véspera das eleições tentaram arrumar uma pesquisa para dar empate técnico para alguma ação criminosa.

A compra de votos foi muito grande, mas com as ações da Polícia Federal e do Exército, centenas foram abortadas e o Ministério Público Federal tem casos de inquéritos com indiciados por compra de votos.

            Pediu pinico para o professor

Sabendo das suas limitações e sem bagagem de conhecimentos para debates e temendo levar outros corretivos morais, como já aconteceu, o que lhes foi aplicado pelo deputado César Pires, quando ele foi flagrado querendo furtar projetos leis de outros parlamentares, como o caso do RG+ do extinto deputado José Gentil, além de casos em que ele tentou se apropriar de outros, inclusive de Neto Evangelista e do ex-deputado Carlos Amorim.

Duarte Jr procurou o professor Flavio Dino e fez o sério apelo para ocupar um cargo no executivo, uma vez que teme ser desmoralizado pelos deputados Neto Evangelista, Yglésio Moyses e César Pires. Ele como não tem competência para debater com nenhum deles e se por acaso tentar será desmoralização, teme se tornar toalha. Ao que tudo indica, o professor deve levar o aluno para bem mais próximo dele, uma vez que ele pode ser útil na crise política que começa a ser desenhada, depois das derrotas humilhantes nas eleições municipais em que o todo poderoso Flavio Dino, que começa a ver o barco naufragando e falar mansinho.

 

 

 

 

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *