Como votaram Duarte Jr, Neto Evangelista e Yglésio Moyses no projeto contra aposentados do Estado

Aprovado ao toque de caixa pela Assembleia Legislativa do Estado, o Projeto de Lei do Executivo que, desafetou arbitrariamente imóveis do Fundo Estadual de Pensão e Aposentadoria do Governo do Maranhão – FEPA.  Desafetação é a manifestação da vontade do Poder Executivo mediante a qual um bem é subtraído do domínio público para ser incorporado ao domínio privado do Estado ou particular, com a total participação da maioria dos deputados estaduais.

De acordo com o projeto de lei do governador Flavio Dino, as áreas desafetadas de utilização pelo FEPA são: o Complexo Hospitalar composto pelo Hospital Carlos Macieira, terreno destinado ao novo Hospital do Servidor e terreno destinado ao respectivo estacionamento, na avenida Jerônimo de Albuquerque. Também estão incluídos, área destinada a ampliação da avenida Jerônimo de Albuquerque, no bairro do Angelim e o edifício Governador Archer, na avenida Magalhães de Almeida (centro).

Sem qualquer debate com os servidores públicos através das suas categorias de representação, o governador Flavio Dino agiu de forma arbitrária, inclusive sem qualquer avaliação, estabeleceu o valor aproximado  de R$ 275 milhões, observando aportes que já teriam sido realizados pelo Tesouro Estadual, mas em 12 parcelas iniciada em setembro de 2020.

             Deputados César Pires e Welington do Curso protestaram

Contando sempre com a subserviência da maioria dos deputados da Assembleia Legislativa do Estado, mas uma minoria conseguiu registrar que mais uma vez o governador Flavio Dino, causa prejuízos aos servidores estaduais que num futuro próximo poderão  ficar sem benefícios previdenciários, inclusive as suas aposentadoria afirmou o deputado César Pires, registrando: “O governador Flavio Dino já subtraiu mais de R$ 1 bilhão do FEPA para compensar a sua desastrosa administração e agora começa a mostrar mais claramente a sua intenção de prejudicar e até inviabilizar as aposentadorias de servidores públicos, afirmou o deputado”. O deputado Welington do Curso manifestou a sua preocupação diante da desafetação e mostrou para os colegas de parlamento, os sérios males que estavam fazendo para os servidores públicos estaduais.

                    Como votaram os deputados Duarte Jr, Neto Evangelista e Yglésio Moyses

Paira expectativa sobre as entidades de servidores públicos estduais, em saber exatamente quais foram os posicionamentos dos deputados estaduais Duarte Jr, Neto Evangelista e Yglésio Moyses, candidatos a prefeitos de São Luís, que  não se posicionaram ou pior, se estiveram ausentes da importante sessão. Não há justificativas, principalmente pela gravidade problema e exatamente no momento em que estão fazendo promessas de todas as ordens para a população.

Se os três deputados se omitiram, o que deve ter sido o provável, por fazerem parte da base que recebe ordens e as cumpre do Palácio dos Leões, eles colocam abaixo, todas as promessas que vêm fazendo ao povo de São Luís em suas campanhas à prefeitura da capital.

Todos os parlamentares acima mencionados têm a obrigação moral para mostrar as razões que os impediram de fazer a defesa de interesses e direitos coletivos, qualquer que seja a omissão, como a de que estavam em compromissos de campanha não justifica, uma vez que o exercício do mandato está acima de qualquer outro compromisso. Esse tipo de argumento está totalmente descartado, e se houver, o da falta de conhecimento da votação da matéria pelo plenário, é pior ainda.

A verdade é que todos três deputados devem uma satisfação pública urgente, e não apenas ao Povo de São Luís, mas a todo o povo do Maranhão, uma vez que colocam sob o risco da seriedade, as promessas que vêm fazendo em suas campanhas.

A Revolução dos bichos

essa esquerda comunista não é só corrupta como criminosa, mas também ferrenha ditadura que, ao longo desse desgoverno, impôs o aumento dos miseráveis no estado mais pobre e miséravel da nação, ao tempo em que escravisou o funcionalismo público, congelando os salários e aumentado impostos e, ainda, tirando as condições mínimas de trabalho dos funcionários.
um verdadeiro ditador, esse COMUNISTA desgraça do!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *