Com a Operação Cartago compradores de imóveis procuram advogados para ressarcimento do que lhes foi furtado

matoA Caixa Econômica está na mira de advogados com a Operação Cartago

Inúmeras pessoas que adquiriram imóveis nos últimos cinco anos, com financiamentos pela Caixa Econômica, as quais foram orientadas por servidores do estabelecimento de crédito a procurarem corretoras indicadas por eles, estão procurando advogados com vistas a buscarem ressarcimento do que lhes foram cobrados a mais com o acréscimo de percentuaisque teriam variação entre três e cinco por cento dos valores dos imóveis. A cobrança indevida e criminosa que teria alcançado mais de 500 milhões de reais nos últimos cinco anos com o esquema funcionando em várias agências da Caixa Econômica em São Luís veio a público com a Operação Cartago, desenvolvida pela Policia Federal, com apreensão de farto material e a condução coercitiva de sete funcionários da Caixa Econômica Federal e do proprietário da construtora Dimensão Engenharia.

Como todo o processo era articulado dentro da Caixa Econômica, as pessoas entendem que a responsabilidade é do próprio estabelecimento de crédito e ele deve ser responsabilizado para a devolução do que foi cobrado indevidamente. Para que se tenha uma dimensão da operação criminosa, um imóvel no valor de 200 mil reais, a pessoa que fez o financiamento pagou entre seis e dez mil reais a mais. Hoje eu estive conversando com um conceituado advogado especialista na área, e ele me disse que pelo menos nos últimos dias já foi procurado por mais de 50 pessoas que se julgam lesadas pelo esquema dos funcionários da Caixa Econômica Federal e construtoras. Como o inquérito policial corre em sigilo na Policia Federal e na justiçacorrerá em segredo de justiça, fica um tanto difícil até para que venha a público os nomes dos servidores criminosos da CEF, num protecionismo para os criminosos e suscitando  dúvidas sobre os que dignificam a instituição com um trabalho amplamente correto.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *