BNDES abre “caixa preta” e encontra negócios milionários para artistas, empresários e políticos

O Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), a pedido do presidente Jair Bolsonaro (PSL), divulgou na noite de segunda-feira (19) uma lista de empréstimos concedidos a empresas e empresários para a compra de aeronaves particulares.

Com a promessa de “abrir a caixa preta” dos financiamentos do banco durante os governos do PT, a lista revela quais empresários conseguiram empréstimo com o BNDES para comprar jatinhos particulares.

A lista específica de jatinhos soa como uma resposta do governo Bolsonaro ao apresentador Luciano Huck, cotado para ser candidato à presidência em 2022 e que recentemente fez críticas ao atual mandato.

Huck aparece na lista divulgada nesta segunda. A aquisição do jatinho pelo apresentador com subsídio do BNDES já havia sido divulgada em 2018, quando surgiram os primeiros rumores sobre sua candidatura à presidência.

Segundo o BNDES, o jatinho de Huck foi comprado em 2013, em nome da empresa Brisair Serviços Técnicos Aeronáuticos pelo valor de R$ 17,7 milhões, via Itaú/Unibanco, com juros de 3% ao ano.

“A divulgação está em linha com o conjunto de ações em curso adotadas pelo BNDES para se tornar cada vez mais transparente perante a sociedade brasileira”, disse o banco em nota.

Ainda segundo o órgão, estima-se que o subsídio dessas operações tenha custado R$ 693 milhões aos cofres públicos, em valores corrigidos.

Outros nomes famosos aparecem na lista, como o da cantora Claudia Leitte, que obteve R$ 6,1 milhões do BNDES por meio do Itaú/Unibanco em 2009, em nome da empresa Bahia Golf Agência de Viagem, que é registrada em nome do seu pai, Claudio Oliveira Inácio.

Ao todo, o banco emprestou via instituições privadas como o Itaú um total superior a R$ 1,9 bilhão para a compra de jatinhos da Embraer. O empréstimo mais caro foi feito ao empresário Michael Klein, herdeiro do fundador das Casas Bahia, no valor de R$ 77,8 milhões.

Os irmãos Joesley e Wesley Batista, da JBS, envolvidos em diversos esquemas de pagamento de propina investigados pela Operação Lava-Jato, também figuram na lista de 134 nomes. Em nome da empresa, eles arrecadaram R$ 39,78 milhões para a compra de um jatinho particular.

Outro nome conhecido é o do empresário e atual governador de São Paulo, João Doria (PSDB), que pegou R$ 44 milhões emprestados do BNDES. Foi um dos dez empréstimos mais caros registrados no período.

A lista inclui 134 operações de crédito a juros subsidiados, que variaram de 2,5% a 8,7% ao ano, entre 2009 e 2014. A relação completa de nomes e números pode ser conferida no site do BNDES.

Yahoo Finanças

 

 

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *