A farsa da concorrência pública do transporte coletivo causará mais paralisações e prejuízos para a população

           Os discursos do prefeito Edivaldo Holanda Júnior, de inúmeros vereadores e do quase vitalício secretário da SMTT, Canindé Barros não se sustentam, e os problemas atinentes ao transporte coletivo de São Luís, ficaram cada vez mais deficientes depois da farsa da concorrência pública e o resultado é que dezenas de comunidades estão refém da imposição dos empresários, os quais estabelecem as próprias regras para prestar serviços. O negócio é tão vergonhoso, que os rodoviários já denunciaram que os empresários de transportes coletivos possuem escritório dentro da SMTT.

Contando com a total omissão dos gestores públicos municipais, os empresários desobedecem as inúmeras regras estabelecidas na concorrência pública, como o número de viagens nas linhas, a qualidade dos coletivos e também o suporte para atender prioridades. Nada é honrado e que se tem visto todos os dias são queixas de usuários pelo péssimo serviço que recebem.

Constantemente estão ocorrendo paralisações em diversas linhas, decorrentes das empresas que não estão honrando acordos coletivos de trabalho e daí, é que despontam os conflitos e quem acaba sendo altamente prejudicados são os usuários e geralmente das linhas em que moram pessoas pobres.

A maior indignação popular reside nos discursos públicos do prefeito de São Luís, de alguns vereadores e o secretário da SMTT, que afrontam os usuários afirmando que o transporte coletivo de São Luís melhorou e que existe qualidade. A verdade é que qualquer que seja o próximo prefeito de São Luís, ele terá a responsabilidade de rever o serviço de transporte coletivo e trabalhar um plano para um grande projeto de transporte de massa em nossa capital. A improvisação e os interesses escusos estão bem acentuados dentro do contexto atual do transporte coletivo de nossa capital.

 

 

 

 

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *